Sexta-feira, 11 de Fevereiro de 2011

A verdade é que são bem mais do que dois. Mas, para além de o titulo ficar mais sonante desta forma, hoje vou só mesmo dedicar-me a dois dos meus amores. Tratam-se de duas regiões deste belo país: Algarve e Alentejo! Isto vem a propósito deste spot publicitário ao meu Algarve. Fez-me pensar que urge um post regional neste blog, até porque o Alentejo tem tido mais protagonismo por estas bandas e torna-se uma situação desconfortável, uma vez que o sangue que me corre nas veias é totalmente algarvio!

Assim sendo, aqui vai a ode à minha terra. Como em tudo nesta vida, há quem só veja no Algarve uma região turística, que se deixou atropelar por construção à desgarrada, que permitiu a destruição de belezas naturais incalculáveis, e que ainda por cima, só vive no Verão e no resto do ano sobrevive. É facto que muita coisa foi mal feita, mas quem por cá passa e só vê o que de mau se fez, perde tudo o resto... Este meu rectângulo dentro de outro rectângulo, tem quase tudo para oferecer. Temos, indiscutivelmente, o melhor clima do país continental (porque lá para as bandas da Madeira, aquilo ainda é melhor), temos as mais fantásticas praias, que conseguem conjugar beleza e água passível de se dar uns mergulhos sem congelar as carnes, temos noites animadas em tempos de Verão, temos peixinho fresquinho e belo marisco... mas isto é o que toda a gente já sabe, e goste ou não goste, é uma verdade incontornável.

Contudo, temos bem mais do que isso, porque o mais fascinante dos sítios não é o criado para "inglês ver" (expressão que aqui faz ainda mais sentido). O melhor não é ir à praia em pleno Agosto, o melhor é ver o sol de Inverno reflectido na água, enquanto o frio nos deixa a cara rosada e não há mais ninguém para além de nós, do céu, do sol e do mar. O melhor está no sotaque garrido, que vai da Vila a Sagres e que se confunde com o alentejano, com o açoriano e com mais 2 ou 3 dialectos, mas que no fundo é só nosso. Sou uma apaixonada por sotaques. Tivesse eu o dom da imitação, e não havia um que me escapasse. O melhor é ir à feira de manhã e ouvir os feirantes a apregoar em inglês, num fantástico "take a looki lady. Good price". O melhor é perdermo-nos nos montes e serras e desfrutar das vistas e das gentes. O melhor é conhecer as pessoas castiças da pesca e do marisco, e por favor, vejam isto. O melhor não são as badaladas festa da alta, mas sim os bailes de emigrantes com a mini a bom preço, bailarinas em vestes curtas e o leilão das ofertas do povo da terra. O melhor é que já temos cultura todo o ano. O melhor é que, algures entre Janeiro e Fevereiro, as amendoeiras ficam em flor e não há muitas coisas que sejam mais bonitas do que isto. O melhor é que temos alfarrobas e os doces delas derivados. O melhor é que somos marafados e dizem que comemos na gaveta... mas nem sempre é verdade!

 

Passemos então ao segundo dos amores, Alentejo da minh'alma. Diz o senhor Janita que o Alentejo é a última utopia. Quase que concordo com ele. Oh terra fácil para uma pessoa se perder de amores. É bem provável que seja da cor de ouro no Verão... ou do verde esperança do Inverno. Talvez os salpicos de cores na Primavera, ou até o castanho amarelado do Outono. Não dá para explicar um pôr do sol na planície, como não dá para explicar um pôr do sol no mar. Não há palavras para a calma das gentes, a percorrerem ruas caiadas e a rasgarem as ondas de calor. E não há pupilas gustativas que resistam ao sustento dos pratos alentejanos, ao panito, ao queijinho, à sericaia. E os montes, e os castelos, e os palácios, e os lagos, e a costa, e o vinho, e as vinhas, e as herdades, e o calor do dia e do Verão, e o frio da noite e do Inverno...

E os sotaques, raio dos sotaques outra vez, que me enchem a alma.

 

Sou uma sulista convicta e apaixonada por cada km destas terras. O sul é a minha casa e por mais que ande por fora, é aqui que me encontro!



apoquentado por Béu às 18:37 | linque da apoquentação | mandar pitafe

mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


apoquentações fresquinhas

The end

Se a perfeição existe...

Setembro 2011

Every teardrop is a water...

Meia de proposta

Fecha a porta, que faz co...

O meu favorito do mestre ...

Para quem não acredita qu...

Dancing terapia queen

Faz hoje 7 anos

past

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

a gata

alentejo

amizade; morte

analogias

aniversário

balanço

carnaval

coisas

coisas boas

coisas que irritam

comida

crises existenciais

desabafos

férias

filmes

homens

inspira-me

mina

mina a gata

natal

nomes

nostalgia

observações

país

pessoas

primavera; flor

prisão

saudades

signos

sócrátes

testes

trabalho

viagens

todas as tags

os mais espectaculares

Ensaio sobre a bestialida...

E se um dia

Líquidos

Liberdade?

Domingo à tarde

?

Avô Hique

Ode parte I

A sazonalidade

Noites dedilhadas...

linques
blogs SAPO
subscrever feeds