Domingo, 13 de Março de 2011

A semana passada foi particularmente difícil para a minha pessoa. O tempo não ajuda, está altamente depressivo, com dias cinzentos a sucederem a dias cinzentos, chuva, trovoadas e todas essas coisas das quais acho que já está toda a gente farta. Mas o clima é uma questão de fundo.

Ando desalentada. Sim, eu sei, toda a gente anda desalentada... Mas este é o meu blog e aqui fala-se dos meus desalentos!

E sim, vou falar do desalento relativamente ao meu trabalho. E venham-me cá com histórias de que "é uma sorte ter trabalho" que com a impertinência que estou, logo vos canto!

Eu posso falar de quase tudo o que se relaciona com trabalho, por experiência própria. Já fui desempregada, voluntária, recibo verde e licenciada que trabalha em áreas muito diferentes da sua formação. E sim, sou da geração rasca, que está à rasca. 

Senti-me angustiada por ter contactado, na passada semana, com cerca de 150 desempregados, grande maioria pais à rasca de filhos à rasca. Pessoas que trabalharam toda a vida, e que neste momento são colocados de parte, como inválidos, porque têm mais do que 35 anos. Mendigam carimbos semanais, e conta-se histórias de que até já há patrões a cobrar por colocar carimbos... Anos e anos de descontos e neste momento têm subsídios mínimos com os dias contados. E o pior? Nenhuma saída! Tentar motivar estas pessoas para fazer formação, que muitas vezes nem se perspectiva que venha a existir, é algo que acaba comigo. Sim, eu acredito no que digo, quando lhes falo que têm que tentar pensar no seu desenvolvimento pessoal, na sua evolução enquanto pessoas, e aproveitar o tempo, infelizmente vago, para tentar fazer mais alguma coisa por si. Ponho-me do lado das angústias deles, falo-lhes da tão afamada minha geração, sou o mais sincera que posso... Mas para quê? Eu acredito na Educação e Formação de Adultos. Acredito mesmo, e acho algo profundamente nobre e necessário a uma sociedade desenvolvida. E acredito que por cada pequeno ganho que uma pessoa faz, é uma vitória que os profissionais que com ela trabalham têm (em Psicologia somos obrigados a apreciar os pequenos detalhes como grandes vitórias). O problema, como em tantas outras coisas, é misturar pessoas com números, e no final dar primazia aos números. Erro imenso! E como pedir a uma pessoa que conta trocos para as necessidades básicas, que se sente injustiçada, frustrada, angustiada e desesperada, para fazer uma formaçãozinha aqui e um RVCC ali?

Fico triste e fico frustrada. Apetece-me sair deste sistema hipócrita, em que a filosofia, essa em que acredito, perde-se em politiquices e outras "ices" que tais. 

E este Sábado estive num dilema: aproveitar a tarde para fazer Censos ou ir à manifestação da afamada Geração à Rasca? Mas não me iria perdoar se não fosse, ainda mais para contribuir para os malfadados números. E lá fui. Engraçado... Foram, dizem, 6000 em Faro, mas imperou o "pouco barulho". Eu pessoalmente gosto mais assim. Para marcar presença, não é preciso grande alarido. Fiquei contente com o manifesto, deveras que fiquei.

Acho que estou numa fase silenciosa da vida, em que o alarido confunde-me, baralha-me e enerva-me.

Mas em suma, o que queria mesmo escrever é que estou saturada, simplesmente saturada...



apoquentado por Béu às 21:28 | linque da apoquentação | mandar pitafe

mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


apoquentações fresquinhas

The end

Se a perfeição existe...

Setembro 2011

Every teardrop is a water...

Meia de proposta

Fecha a porta, que faz co...

O meu favorito do mestre ...

Para quem não acredita qu...

Dancing terapia queen

Faz hoje 7 anos

past

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

a gata

alentejo

amizade; morte

analogias

aniversário

balanço

carnaval

coisas

coisas boas

coisas que irritam

comida

crises existenciais

desabafos

férias

filmes

homens

inspira-me

mina

mina a gata

natal

nomes

nostalgia

observações

país

pessoas

primavera; flor

prisão

saudades

signos

sócrátes

testes

trabalho

viagens

todas as tags

os mais espectaculares

Ensaio sobre a bestialida...

E se um dia

Líquidos

Liberdade?

Domingo à tarde

?

Avô Hique

Ode parte I

A sazonalidade

Noites dedilhadas...

linques
blogs SAPO
subscrever feeds