Sábado, 26 de Janeiro de 2008





apoquentado por Béu às 19:21 | linque da apoquentação | mandar pitafe

Domingo, 20 de Janeiro de 2008
Pois é, este fim de semana fui conhecer a casa da minha irmã: papéis com as míticas frases de ocupação territorial estudantil na parede da sala, fotografias das gentes da terra no quarto, e o jantar feito de massa... Não há engano possível: é uma casa de estudantes, concerteza!

E eis que cruelmente chego à conclusão que os papéis se inverteram. Agora sou eu que lhe conto as novidades dos papás, da avó, dos gatos, e é ela que me apresenta as colegas de casa e sugere os sítios cools da zona! É giro... e é nostálgico. Mas também, para mim tudo é nostálgico!



Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008

:)



apoquentado por Béu às 22:15 | linque da apoquentação | mandar pitafe

Inspirada pela SARDAS (www.blogdasardas.blogspot.com) aqui fica o meu desenho infantil:



apoquentado por Béu às 22:11 | linque da apoquentação | mandar pitafe

Sábado, 12 de Janeiro de 2008
MAR
mar, que dissolve as angústias e devolve em espuma os pensamentos atirados ao acaso, embrulhados em grãos de areia. Mar, que se deixa rasgar por quem anseia encurtar distâncias entre os seus balanços. Vento que sabe a mar, mar que sabe a sol, sol que sabe a sal, sal que volta ao mar...

BEIJO
percorre todo o corpo sem sair dos lábios, ultrapassa sem pudor as barreiras da pele, arrepia a leve penugem da espinha e aloja-se nos olhos fechados, na entrega da língua a descobrir os movimentos molhados e desajeitados numa dança a dois, nas mãos a tentar tocar muito mais do que a sua superfície permite, e nos corpos colados aquecidos pela simplicidade dos beijos térmicos... quentes.

DESEJO
sentir os membros a entrelaçarem em manobras acrobáticas, a pele a trocar dádivas de sal e água, a profanação dos recantos mais sagrados do corpo e a respiração aflita como se todo o ar fosse insuficiente para encher de oxigénio dois corpos, para lhes alimentar a combustão do desejo

Estes parágrafos aconteceram numa conversa de internet daquelas que valem a pena, onde era dado o mote com uma palavra e o objectivo era escrever qualquer coisa sobre ela. Transcrevo para aqui os meus e deixo no histórico outros muitíssimo bem escritos, mas com direitos de autor :)


apoquentado por Béu às 18:39 | linque da apoquentação | mandar pitafe

Pois é, afinal até parece que a lei está realmente a mudar velhissímos hábitos. E eu a pensar que não iria passar de mais uma daquelas leis muito giras, mas que servem apenas para confrmar a excepção. E começou mais ou menos nesse registo, porque começar a proíbir o fumo numa noite de passagem de ano, é um ínicio condenado ao fracasso. Mas os dias seguintes vieram demonstrar alguma firmeza, pela qual fico surpreendida e agradada.
É facto, relativamente a este assunto sou totalmente fundamentalista, como já havia escrito algures neste blog. E isto por uma razão que me parece tão simples quanto irrefutável: atentado à liberdade individual. E o engraçado é que os fumadores se servem exactamente deste argumento para defender o sua direito de acender o cigarrito.
Diz Inês Pedrosa na sua Crónica Feminina na Única: "Sem o direito a escolher o seu próprio estilo de vida ninguém é livre". Tem piada que eu, desde sempre que escolhi o meu estilo de vida no que se relaciona com o tabaco, e nunca consegui realmente ser livre para o ter. E agora chamam intolerantes aos não fumadores? Amigos, desde sempre que nós fomos mais que tolerantes, fomos altruístas, cedemo-vos o aparelho respitatório para inalar o vosso fumo em segunda mão, cedemo-vos o cheiro a lavado no cabelo e na roupa, cedemo-vos o nosso conforto ocular. Não chega? Como é possível que agora se queixem de perseguição, como é possível que reivindiquem uma liberdade individual que há tanto tempo nos tiram, e como é possível que em vez de nos acusarem de pidescos, não nos agradeçam todas as décadas de tolerância?
É claro que defendo que os fumadores devem ter todo o apoio por parte do sistema de saúde, e acho sinceramente que assim será mais fácil o fim do vício. Para os que levantam a bandeira da causa fumadora, fumam por prazer e não querem jamé deixar de o fazer, está tudo bem. Felizmente temos um excelente clima para o ar livre, mesmo de Inverno!



Tenho andado arredada das lides bloguistas, e por isso só agora escrever o primeirissímo post do ano de 2008. E como tal, serve este rabisco para, em jeito de new year resolution reafirmar que 2008 vai ser um grande ano, para compensar as angústias doismilesetianas. O ano que passou foi mais ou menos como um estudante: teve 365 para mostrar o que valia, mas só nas vésperas do juízo final é que se lembrou de me agradar um bocadinho! :)
Não faz mal, porque foi o suficiente para entrar em 2008 cheia de vontade de recomeçar, cheia de boas energias.

Espero que estes 366 dias não desiludam :)

E porque gosto muito desta música, e me transmite coisas boas, em fuego lento:



apoquentado por Béu às 12:00 | linque da apoquentação | mandar pitafe

mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


apoquentações fresquinhas

The end

Se a perfeição existe...

Setembro 2011

Every teardrop is a water...

Meia de proposta

Fecha a porta, que faz co...

O meu favorito do mestre ...

Para quem não acredita qu...

Dancing terapia queen

Faz hoje 7 anos

past

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

tags

a gata

alentejo

amizade; morte

analogias

aniversário

balanço

carnaval

coisas

coisas boas

coisas que irritam

comida

crises existenciais

desabafos

férias

filmes

homens

inspira-me

mina

mina a gata

natal

nomes

nostalgia

observações

país

pessoas

primavera; flor

prisão

saudades

signos

sócrátes

testes

trabalho

viagens

todas as tags

os mais espectaculares

Ensaio sobre a bestialida...

E se um dia

Líquidos

Liberdade?

Domingo à tarde

?

Avô Hique

Ode parte I

A sazonalidade

Noites dedilhadas...

linques
blogs SAPO
subscrever feeds